Coffea spp sob estresses de déficit hídrico, alta e baixa temperatura.

     O estudo tem como objetivo principal investigar as consequências da imposição individual ou sobreposta de condições de estresse ambiental, nomeadamente de seca, calor e frio, em cafeeiros de C. arabica e C. canephora. Estes trabalhos têm vindo a ser realizados nos últimos 20 anos, agora no Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, coordenados pela equipe portuguesa em estreita colaboração com a equipe da UFES. Neles tiveram ainda participação destacada outras instituições portuguesas (FCT/UNL e INIAV) e brasileiras (UFV e UENF). Os dados ajudam a entender o comportamento dos cafeeiros diante das condições impostas, e têm vindo a produzir diversas teses de doutorado e publicações internacionais. De entre as avaliações realizadas, destacam-se: características estomáticas, trocas gasosas foliares, fluorescência da clorofila a, transporte tilacóidal de elétrons, permeabilidade e lipoperoxidação de membrana, atividades de diversas enzimas, pigmentos fotossintéticos, qualidade do grão de café, e análise de expressão de genes selecionados.

     O trabalho tem vindo a ter o apoio financeiro da Capes (bolsa), da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Portugal), através de diversos projetos (atualmente PTDC/ASP-AGR/31257/2017) e das unidades de investigação UID/AGR/04129/2013 (LEAF) e UID/GEO/04035/2013 (GeoBioTec), assim como da União Europeia (project BreedCAFS, proposal 727934).